PORQUE EDUCAÇÃO VIÁRIA?

Educação para o Trânsito

Uma Cidade Educadora é aquela que, para além de suas funções tradicionais, reconhece, promove e exerce um papel educador na vida dos sujeitos, assumindo como desafio permanente a formação integral de seus habitantes. Na Cidade Educadora, as diferentes políticas, espaços, tempos e atores são compreendidos como agentes pedagógicos, capazes de apoiar o desenvolvimento de todo potencial humano. 

I Congresso Internacional de Cidades Educadoras, realizado em Barcelona, na Espanha.[1]

O principal motivador do Programa Educação Viária é Vital é reverter a situação atual de extrema violência no trânsito, para tanto se propõe a levar a discussão sobre trânsito e transporte para as salas de aula, uma vez que apostamos na educação como um caminho seguro e viável de transformação da nossa convivência nos espaços públicos.

O Programa assume a premissa que as escolas têm como missão ensinar as crianças a fazerem escolhas em um ambiente que ofereça pluralidade de oportunidades de aprendizagem. Assim, o Programa Educação Viária é Vital se apresenta como um caminho que possibilita o desenvolvimento de habilidades e competências fundamentais para a formação integral das crianças e adolescentes, para que se tornem cidadãos comprometidos com uma convivência cada vez mais harmoniosa e segura no trânsito.

Outro aspecto fundamental para o Programa é a compreensão de que a educação não acontece somente dentro da escola. Ou seja, as aprendizagens fundamentais para a formação de um indivíduo incluem a comunidade onde se vive, as relações que ocorrem neste território para além dos muros escolares.

O Programa aborda a Educação de Trânsito a partir das regras estabelecidas, que contribuem para a prevenção de acidentes e, portanto são pré-requisitos básicos para prover a segurança individual e coletiva, mas também investe em uma aprendizagem que valorize a construção de valores que culminem na formação de cidadãos sensibilizados com a necessidade de viver harmoniosamente em todos ambientes sociais, incluindo o trânsito.

Educação para o Transito nos Parâmetros Curriculares Nacionais

"É fundamental para a proteção à vida e à saúde, nessa idade, conhecer as regras básicas de segurança no trabalho e no trânsito."

"Uma possibilidade realista de trabalhar a questão do risco é a identificação das associações entre seus diversos componentes como consumo de álcool e acidentes de trânsito." (Parâmetros Curriculares Nacionais)

Nos Parâmetros Curriculares Nacionais o tema trânsito não é indicado como tema transversal. No entanto isso não diminui sua importância porque ele é considerado como tema local, de urgência e de abrangência nacional, e relaciona-se com os temas transversais da:

  • Saúde – autocuidado e vida coletiva;
  • Ética - Respeito mútuo, justiça, diálogo e solidariedade;
  • Pluralidade Cultural - O ser humano como agente social, produtor de cultura e Cidadania;
  • Meio Ambiente – Crise ambiental e o modelo de desenvolvimento econômico atual - os ciclos da natureza, sociedade e meio ambiente, manejo e conservação ambiental.

Matriz de aplicação interdisciplinar (exemplo)

 

Tema

Foco

Matéria(s)

Atividade(s)

Saúde

Conservação da vida

Ações de prevenção

Biologia, Ciências, Geografia, etc.

Pesquisa sobre o uso do celular nos deslocamentos humanos.

Ética

Respeito

Observação às leis de trânsito

Educação artística, Português, etc.

Criação de sinalização para orientar a circulação dentro da escola.

Pluralidade Cultural

Diversidade

Mobilidade das pessoas com deficiência.

História, Educação física, etc.

Simulação de deficiências (ex. cego) para os alunos experimentarem a dificuldade vivenciada por estas pessoas.

Meio Ambiente

Sustentabilidade

Emissão de gazes poluidores na atmosfera.

Ciências, Geografia, história, etc.

Estudar a relação da prevalência de doenças respiratórias nas áreas urbanas e rurais.

Última atualização: Tuesday, 11 Apr 2017, 08:46